Encontro na Baía da Babitonga

Entre os dias 14 e 22 de julho de 2018, uma pequena flotilha da AVESAL composta por quatro veleiros fez-se ao mar com intuito de explorar a belíssima Baía da Babitonga, no litoral norte de SC.

logo no início da viagem, o grupo realizou uma parada estratégica para pernoite na Marina Itajaí, sendo muito bem recebido pelos velejadores residentes, que prestaram todo apoio necessário ao bem estar dos barcos e tripulações. Nosso pessoal foi agraciado com o convite especial para participação da festa julina promovida pelos amigos do Píer B da Marina.

A navegação para São Francisco do Sul foi realizada sob forte nevoeiro e visibilidade restrita, que não ultrapassava 30 metros em muitos momentos. Foi extremamente valioso o uso da instrumentação de bordo até o fundeio em frente ao Centro Histórico, com águas serenas naquela condição. A paisagem arquitetônica dessa antiga cidade, que é considerada a terceira mais antiga do Brasil, foi um convite irrecusável para o desembarque e passeio pelas suas belas ruas e praças repletas de histórias.

De São Chico, o próximo porto foi o cais do JIC (Joinville Iate Clube), onde a acolhida novamente foi sensacional, inclusive com a visita dos amigos velejadores da região.

Após o reabastecimento dos barcos, o caminho inverso começou a ser traçado, com direito a outras incursões antes do retorno definitivo para Floripa.A navegação foi marcada pela presença constante de fortes nevoeiros ao longo de todo litoral catarinense e também pelo acréscimo de mais um veleiro a partir de Itajaí.

A experiência na Baía da Babitonga apresentou o cotidiano de uma população que mantém muito ativa a tradição do uso do mar nos mais diversos aspectos.Várias comunidades ribeirinhas interagem entre si e os principais pólos (São Francisco do Sul e Joinville) por intermédio de embarcações, dependendo  exclusivamente desses veículos em suas necessidades de locomoção, ou mesmo subsistência (pesca, turismo, trabalho portuário, etc.)

O aspecto ambiental vive a recuperação de uma quase falência resultante da exploração industrial e portuária, sendo possível segundo os moradores da região,  reencontrar espécies que quase foram extintas recentemente.

A Baía e seus encantos deixaram um registro muito positivo para nossa flotilha, que sem dúvida retornará para conhecer um pouco mais dessa pérola do litoral de Santa Catarina. Algumas entidades e pessoas merecem um agradecimento distinto em virtude do grande apoio prestado a realização dessa atividade:

– Diretoria da AVESAL, que estava sempre atenta a evolução da flotilha durante toda navegação;

– Marinha do Brasil, principalmente a guarnição do Farol da Ilha da Paz, com seu grande auxílio via rádio;

– Marina Santo Antônio, através do apoio logístico e incentivo para realização da atividade;

– Marina Itajaí, com sua acolhida e tratamento especial ao grupo;

– Museu do Mar, que cedeu o uso de seu vestiário para nossas tripulações;

– JIC, com o grande acolhimento dos veleiros que permaneceram em suas dependências;

– Catarina Náutica, com seu apoio logístico e comercial;

– Amigos Elder e Ieda (veleiro Arequita), Wilson e Clélia (veleiro Neréiades), que não mediram esforços para nosso bem estar e segurança;

– Amigo velejador Luciano Saraiva (Museu do Mar e prof° da Escola de Vela do JIC), que abriu as portas junto as duas instituições;

– Velejador Beckert, com seu grande apoio junto ao JIC;

– Amigos Renato e Heidi (veleiro Moleque), que acompanharam e incentivaram toda jornada e visitaram nossa turma em Joiville;

– Michel (Diretor do Museu do Mar), grande apoiador;

– Família AVESAL, que sempre apoia e compartilha dicas e informações preciosas para o auxílio dos barcos que estão no mar.

2018-07-25T19:35:07+00:00